sábado, 25 de agosto de 2007

Sina

Nasci assim, sangrando...
Prossegui rastejando
Mordendo dedos foi como cresci
Os meus, os seus...dedos
Comendo o que estivesse no chão
Gritando muda
Dentro da escuridão
Alma encaixou-se
Meio violentada
Jamais, jamais!
Bem acomodada

Então não me irrite
Quando me jogo nos abismos
Quando sangro meu corpo
Quando busco a dor
Em qualquer estrada
E me lanço
Em qualquer viagem...

Nasci assim sangrando
E não me endireitaram
Jamais deixarei
De ser
Um ser
Selvagem...


7 comentários:

Vivi disse...

Todos temos um lado selvagem...
Mas vc tem os dois!
Com tanto que não arranque seus dedos fora, ´por mim tudo bem...
rs...
Lindo meu anjo!!!
Amo seu blog...
Beijosss

Fernanda Passos disse...

Nasci sangrando.....o sangue quente que corre nas veias e te faz indomável. Bela poesia Heloisa.
Um beijo.

Camila Cobucci disse...

só os seres selvagens são desprotegidos da dor..e acabam por gostar dela..
lindo
amote

Marcelo Cantalice Dias disse...

Heloisa,
É complicado domar um amor, por mais perfeito que ele seja é complicado..".-Nasci assim sangrando
E não me endireitaram"
Estes somos nós...aqueles que "sangramos" as palavras e fazemos que deste sangue poético todos bebam...
Amei!!!
Ah...Tem poema novo lá no blog aguardano a sua sangria...
E estou concorrendo ao prêmio caneta de ouro pelo poema:http://desejosevirtudes.blogspot.com/2007/07/ser-amor-poesia.html
Estou preparando minhas indicações...E tem um malabarista saindo da fenda da minha cabeça para as indicações...
Beijos

Juliana Cintra disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Maria Regina disse...

E alma jamais está bem acomodada...
Ainda bem, não é?
Assim temos as lindas poesias e a grande criatividade!
Beijos

Virginia disse...

Uma tigresa selvagem de unhas negras e íris cor de mel..rsss...