quinta-feira, 23 de agosto de 2007

Cegueira


Não consigo
Ficar sem respostas
É como ouvir o passaredo
Com venda nos olhos...

Busco respostas,
Assim...
Quando não consigo alcançar
No mundo aqui fora;
Dentro de mim...
Então vem a gangue
Dos profetas que moram nas tendas
Os que entraram há milênios
Pela tão falada fenda

Ouça!
Agora mesmo estão trabalhando
Sufistas, ciganos
Mestres africanos
Pajés, xamãs, sacerdotes
Dervixes, druidas, mães-de-santo
Médiuns de todos os cantos

Nada
Mente em branco...
Não acham a resposta
Morro um pouco na alma
Não há calma
Sem respostas
Não há vida
Sobrevivo
Andando sobre espinhos
E folhas mortas

3 comentários:

Virginia disse...

Todos nós queremos respostas...algumas nunca conseguiremos...

Anônimo disse...

Vc é demais!!!
Lindo!!!!
Amo vc!!

Juliana Cintra disse...

As respostas virão...
Ainda mais quando vc as chama...