segunda-feira, 16 de julho de 2007

Jacaré dá

Um pé
De jacarandá
Jacaré dá

De menina via ovos
Balançando nos galhos
Da árvore do meu pomar
Crescida ao lado do rio

Primavera despertou
Ovinhos quebraram
Cascas sobre mim
Jacarezinhos no meu jardim

Queria guardar todos
Dentro de um bercinho
Nas meninas fiz lacinhos
Pros meninos comprei bola

Mas era o rio que eles queriam
E assim os fui perdendo
Os filhos meus, pequeninos
Nas águas partiram de mim

Foi quando peguei o machado
E jacarandá cortei
Tronco morto, virou jacaré
Que ali mesmo me engoliu

Fui dentro dele pelo rio
Jacarezando e rezando
Virei o que ele era, ele...Eu.
E sumi de mim pra sempre
Na primeira curva que apareceu...

Um pé
De jacarandá
Jacaré dá

4 comentários:

Virginia disse...

Mulhé com mulhé tb dá jacaré...rsss...

Vivi disse...

quero um pé de gatos persas de olhos azuis!
Demais suas idéias flor!
Só vc mesmo!!!!!!

b disse...

b que imaginação a sua rssss
foi engolida por tudo que criou??? rsss sempre melhor
beijo amote

Assis de Mello disse...

Só podia ter vindo de uma mulher com uma fenda na testa. Olho ciclópico. Ah se Breton te conhecesse !!!