quarta-feira, 25 de julho de 2007

Hipocritacriptamente

Ai Neruda, Florbela, ai Vinícius...Ai!
Não me levem a mal
Mas poesias de amor já embrejou faz uma cara
Passo mal...

Ó meu amor, que saudades tuas!
Ah, quantos dissabores nessa vida!
Onde estarás tu na noite escura?

Nossa que prefiro o buo da coruja...

Amor é amor e sobre ele tudo já foi dito
Que é lindo, que é dor, que é divino...
Que nos mata, nos revive...
Até eu hipocritacriptamente,
‘Inda escrevo sobre essa sandice
Demente...Mas olhe que meu verso mente...
Ou inventa, pra escrever de outro jeito...
O tantas vezes, melhor dito
Amor maldito!

Ai Pessoa, Bilac, ai!
Ai pior; poetas suicidas!
Morrer de amor, nomelocreo...
Tanto mel enjoa...
E eu que ainda tô nessa
Faço agora uma promessa
Poemas de amor nunca mais
Talvez um ou outro...
Capaz...

6 comentários:

Virginia disse...

Capaz q vc não vai mais fazer declarações escarlates de amor...rsss

Juliana Cintra disse...

haahahaha essa foi demaiss....
hipocritacriptamente...nossa até eu me confundi agora....rsss
mas "Amor"...convenhamos...é sempre bom falar, mesmo q sejas bobo não??
rsss
bjux bjux.
adoro suas escritas!

Marcelo Cantalice Dias disse...

Sempre arruma uma forma de surpreender hein?
Gosto muito dos seus poemas...sempre trazem algo de construtivo!
Ah...o complicado é não falar de amor!!!
Beijos
Tem novidades lá no blog!!!
Gracias

b disse...

muito bom!!!!!!!!!
adorei..
só vc mesmo
linda bzinha
amote

Fernanda Passos disse...

amor......sempre ele. quem n fala dele?
amote/teamo/temo-te.
rsrs.
bjs.

pedacinho disse...

Ai amor! Quer enganar quem??? rsrs
Vc vai ganhar muitos prêmios com essa poesia... E com todas as outras de amor que ainda vai escrever!!
Te amo demais!